Mulheres transformam realidades dentro da pesquisa brasileira

21/08/2017 13:38

Sem serem convidadas a participar da ciência, as mulheres chegaram nessa esfera e agora estão inseridas em diferentes áreas da pesquisa no Brasil. A Editora Elsevier revela que 49% das pesquisas no país são produzidas por brasileiras. Essa é a maior porcentagem de cientistas do gênero feminino no mundo. A professora Joana Maria Pedro, do departamento de História, e a Secretária Francis Solange Tourinho, da Secretaria de Ações Afirmativas (SAAD), caracterizam essa realidade dentro da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

A pesquisa “Gender in the Global Research Landscape”, da editora holandesa especializada em termos científicos Elsevier, mapeou o gênero dos pesquisadores em alguns países, entre eles o Brasil. Com dados coletados de 1996 a 2000 e de 2011 a 2015, o estudo apresenta um crescimento de 11% da participação feminina no Brasil desde 1996, porcentagem maior que em países como Estados Unidos, Reino Unido, Portugal e Japão.

“Eu comecei na pesquisa pois tinha vontade de saber como as coisas eram feitas e como eu poderia ajudar.” Francis Solange Tourinho – Secretária da Secretaria de Ações Afirmativas UFSC. Foto: Henrique Almeida/Agecom

(mais…)

Pesquisadores UFSC: Recurso CAPES para Manutenção de Equipamentos – até 28 de agosto de 2017

18/08/2017 08:51

A Pró-Reitoria de Pós-Graduação informa que a CAPES liberou recursos destinados à manutenção de equipamentos. Trata-se de um recurso de aproximadamente R$ 1 milhão, destinado à UFSC.

O objetivo é apoiar a melhoria da infraestrutura de pesquisa dos programas de pós-graduação. O recurso é destinado à manutenção de equipamentos, deverá ser executado ainda em 2017 e a gestão será feita pela Pró-Reitoria de Pós-Graduação/UFSC.

Fiquem atentos ao prazo!

Inscrições:
até dia 28 de agosto de 2017.

Mais informações aqui.

UFSC e USP discutem a interdisciplinaridade dentro das universidades.

17/08/2017 15:38

Para discutir a interdisciplinaridade e a inovação nas universidades, a Universidade Federal de Santa Catarina e a Universidade de São Paulo se uniram para construir o primeiro Encontro Acadêmico UFSC-USP sobre Interdisciplinaridade e Inovação em Universidades de Excelência. Com iniciativa da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pró-Reitoria de Extensão da UFSC, o evento buscou debater o tema no contexto das universidades federais e da região sul.

Organizado em parceria com o Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento (PPGEGC/UFSC) e com o Instituto de Estudos Avançados da USP (IEA), o debate aconteceu com a presença dos professores da USP Arlindo Philippi Junior, da Faculdade de Saúde Pública, e Luiz Bevilacqua, Prof. Emérito da UFRJ e Visitante do IEA/USP. Também fizeram parte do evento Pró-Reitores da UFSC como o Prof. Sebastião Roberto Soares, Pró-Reitor de Pesquisa, que debateu sobre interdisciplinaridade e inovação na pesquisa e na extensão.

De acordo com uma das coordenadoras do evento, Prof. Patrícia de Sá Freire, do EGC, a interdisciplinaridade é comum na pós-graduação, “mas dentro dos cursos da graduação o mais comum é a disciplinaridade”. Segundo a professora, a questão é fazer com que os centros de ensino da universidade dialoguem com a sociedade e assim possam resolver as questões do cotidiano. “Cada professor acredita que a sua disciplina vai resolver os problemas da sociedade. É preciso ensinar o aluno da graduação a correlacionar tudo que aprendeu de forma unificada.”

Palestra do Prof. Dr. Arlindo Philippi Junior, da USP

Para o Prof. Arlindo, “A nossa sociedade precisa de pessoas que pensem como um todo para sanar os problemas das nossas cidades”. O professor também ressaltou, em sua palestra, a importância de envolver o estudante em atividades em que ele desenvolva suas habilidades fora de disciplinas. “Precisamos nos reunir nesse meio acadêmico mais vezes para discutir como impactamos a sociedade.”

Em concordância com o professor, a Prof. Patrícia acredita que a interdisciplinaridade vem para modificar a forma como as disciplinas são ministradas. “ É necessário que cada departamento promova uma troca de conhecimento entre si para assim conseguirmos modificar a nossa realidade como sociedade.”

CNPq destinará R$ 25,7 mi para sustentabilidade e incentivo à ciência.

16/08/2017 10:15

O MCTIC (Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações) e o CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) lançam, nesta quarta-feira (16), um conjunto de editais, no valor total de R$ 25,7 milhões, focados em pesquisas de sustentabilidade e na popularização da ciência.

Para evitar que as pesquisas se concentrem em apenas algumas regiões, os valores foram separados para os diversos biomas brasileiros.

Do montante total, R$ 6 milhões serão direcionados para a caatinga e o cerrado, e outros R$ 6 milhões para mata atlântica, Pantanal e pampa –especificamente para pesquisas relacionadas à garantia de seguranças hídricas, energética e alimentar. Mais R$ 2 milhões estão programados para pesquisa de biodiversidade na Amazônia.

Além disso, um dos editais, de R$ 4 milhões, é direcionado às baías brasileiras.

O conjunto de editais está relacionado à Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (Encti) – planejamento de investimentos na área de 2016 a 2022– e aos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU – compromisso assumido pelo Brasil.

Entre os ODS, estão acabar com a fome e garantir a segurança alimentar, assegurar disponibilidade e gestão sustentável de água, e garantir acesso sustentável e a preço acessível à energia.

Outros R$ 7,7 milhões serão destinados à popularização da ciência, com foco em olimpíadas, feiras e mostras científicas.

A chamada pública ficará aberta até 10 de outubro e o anúncio do resultado está previsto para 6 de novembro. O MCTIC afirma que os recursos serão repassados ao ganhadores dos editais até 30 de novembro deste ano.

Fonte: Folha de São Paulo
Phillippe Watanabe
de São Paulo

Projeto da UFSC é selecionado como finalista da Feira Brasileira de Iniciação Científica

09/08/2017 11:36

O projeto “O papel do Jovem Tutor: Desenvolvimento de aplicativos para celulares e apoio na aplicação de oficinas para outros estudantes do Ensino Fundamental” foi selecionado como finalista da II FEBIC – Feira Brasileira de Iniciação Científica, que será realizada entre 3 e 6 de outubro, em  Jaraguá do Sul.

Coordenado pela iniciativa Computação na Escola/INCoD/INE/UFSC,  o projeto apresenta os resultados do projeto Jovens Tutores de Programação formando Jovens Tutores (alunos do Ensino Básico) e Mentores Voluntários (profissionais da área de TI) para programação de aplicativos móveis.

Os tutores e mentores voluntários irão apoiar professores do Ensino Básico no ensino de computação em escolas públicas com objetivo de alcançar um maior número de alunos. O projeto também contribui na formação dos Jovens Tutores na área de computação, oportunizando o aprendizado e o contato com profissionais da área, trazendo a experiência prática aos jovens e crianças participantes.

O projeto está sendo pilotado em um projeto com foco no ensino de programação de aplicativos móveis na Escola Básica Prof.ª Herondina Medeiros Zeferino em Florianópolis e patrocinado pela empresa de software de Florianópolis Involves Tecnologia e Inovação.

O evento

A FEBIC é um momento de integração, troca de experiências e um espaço de promoção da cultura científica, da experimentação, da popularização do conhecimento, do incentivo à criatividade, à inovação, do uso e desenvolvimento de tecnologias e do prazer de fazer ciências. É uma oportunidade para os estudantes apresentarem suas ideias em forma de trabalhos científicos, nos quais integram atitudes, habilidades e competências nas diversas áreas do conhecimento.

Empresas e organizações interessadas em patrocinar outros projetos de Jovens Tutores podem entrar em contato com a iniciativa Computação na Escola pelos telefones (48) 3721-7380/4715  ou pelo e-mail 

Fonte: Notícias UFSC

CNPq afirma que Bolsas de Iniciação Científica não serão interrompidas.

04/08/2017 15:19

Foi vinculada na página do CNPq notícia que assegura que as bolsas pagas por este Conselho não terão descontinuidade. A Propesq tem trabalhado com esse cenário favorável e tem dado prosseguimento normal à indicação dos bolsistas de Iniciação Científica e Tecnológica. O prazo para entrega do Termo de Outorga se encerra no dia 31 de agosto e deve ser feito na Propesq, no terceiro andar do prédio Reitoria II.

 

Universidade holandesa apresenta mais de 400 ferramentas de gestão da pesquisa.

04/08/2017 11:40

Cientistas da Universidade de Utrecht, na Holanda, ao pesquisarem assuntos relacionados a inovações na comunicação acadêmica, realizaram, em 2015, um levantamento com pesquisadores tendo como foco o uso de ferramentas de gestão de pesquisa. Na análise, foram elencadas 101 ferramentas/sites de gestão das atividades de pesquisa – apenas aquelas que representavam uma inovação – a partir do questionário aplicado a mais de 20 mil pesquisadores de cerca de 100 organizações (universidades e editores).

Os pesquisadores continuaram suas análises e aprimoramentos e, em 2016/2017, atualizaram o site, traduziram as informações para seis idiomas e disponibilizaram a lista completa de mais de 400 ferramentas/sites de gestão de pesquisa, além de ferramentas de interoperabilidade, uma lista que não se restringiu ao critério da inovação e foi organizada de acordo com os fluxos de trabalho e fases da atividade de pesquisa:101_Tools

 

Preparação (Preparation)Descoberta (Discovery), Análise (Analysis)Escrita (Writing), Publicação (Publica-
tion), 
Divulgação (Outreach) e Avaliação (Assessment) são componentes do fluxo de atividades do pesquisador/autor e há várias ferramentas gratuitas (e outras pagas) relacionadas à gestão das atividades de pesquisa.

Consulte aqui a lista completa das ferramentas/sites de gestão de pesquisa.

Fonte: Sistema Integrado de Bibliotecas USP

Bolsa de iniciação científica incentiva estudantes a permanecerem na universidade

17/07/2017 10:00

A estudante de psicologia Larissa Paraventi decidiu, na terceira fase da graduação, ingressar em uma pesquisa de iniciação científica. No início, ela estava curiosa sobre onde estaria o papel da pesquisa na área parental dentro da psicologia. Em conjunto com outros estudantes da graduação e da pós, entrou para o Núcleo de Estudos e Pesquisas em Desenvolvimento Infantil (NEPeDI), participando da Iniciação Científica por três anos. Em 2016, entregou o seu último projeto de iniciação científica dentro do NEPeDI: “Relação entre personalidade paterna e mediação materna no envolvimento do pai com filhos pré-escolares”. Agora, Larissa faz parte do mestrado e continua as pesquisas dentro do Núcleo de Estudos na Psicologia.

O professor e tutor no projeto, Mauro Luís Vieira, explica que o mestrado e a continuação na academia são o caminho de muitos estudantes que já passaram pelo Programa Institucional de Bolsas em Pesquisa Científica (PIBIC). Essa foi a bolsa que Larissa recebeu durante a sua graduação e é uma das que são administradas pelo Programa Institucional de Iniciação Científica e tecnológica – PIICT. A administração do programa ocorre dentro da Pró-Reitoria de Pesquisa da UFSC (PROPESQ), local responsável por disseminar a pesquisa dentro da universidade.
(mais…)