Pró-Reitoria de Pesquisa
  • Unilever pede fim dos testes de cosméticos em animais pelo mundo

    Publicado em 15/10/2018 às 08:12
    Da Universa 14/10/2018 14h29

    A Unilever, gigante no setor de beleza, anunciou esta semana uma campanha global para o fim de testes com cosméticos em animais ao redor do mundo.Ela é dona da marca Dove, que ganhou recentemente selo cruelty-free, dado pelo grupo Pessoas pelo Tratamento Ético dos Animais (PETA).

    “A Unilever anunciou hoje seu apoio à proibição mundial de testes em animais para cosméticos como parte de uma nova e ambiciosa colaboração com a Human Society International (HSI), líder em proteção animal”, informou a empresa, em nota divulgada em seu site no último dia 9.

    Os testes com animais na indústria de cosméticos estão proibidos na União Europeia desde 2013, e a empresa agora espera que a medida seja adotada em outros países, conforme explica David Blanchard, diretor-chefe de pesquisa e desenvolvimento da Unilever.

    Junto com a HSI, a Unilever apoiará uma reforma legislativa nos principais mercados de beleza, nos moldes do que já é adotado na União Europeia. Ela quer ainda promover uma colaboração entre as empresas e as autoridades reguladoras,para troca de informações sobre segurança e pesquisas que não envolvam animais; além de capacitação de profissionais da área.

    Nesta semana, a Dove, maior marca no segmento de beleza e cuidados pessoais da Unilever, ganhou o selo livre-de-crueldade. Além disso, a PETA reconhece a Unilever como uma “empresa que trabalha para a mudança regulatória”, o que indica que ela não faz testes em animais, a menos que seja especificamente exigido por lei.

    No Brasil, proposta está pronta para ser votada Em maio deste ano foi entregue à Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) relatório sobre o projeto que proíbe uso de animais em pesquisas e testes para produção de cosméticos.Com isso, a proposta (PLC 70/2014) está pronta para entrar na pauta, segundo a Agência Senado.

    O texto não só proíbe testes de ingredientes e de produtos cosméticos em animais, como veda o comércio de produtos que tenham sido testados e incentiva técnicas alternativas para avaliar a segurança das formulações.

    Os testes em animais só poderão ser permitidos pela autoridade sanitária em situações excepcionais, em que houver “graves preocupações em relação à segurança de um ingrediente cosmético” e após consulta à sociedade. Para isso, é necessário que o ingrediente seja amplamente usado no mercado e não possa ser substituído; que seja detectado problema específico de saúde humana relacionado ao ingrediente; que inexista método alternativo de teste.

    As empresas terão prazo de três anos para atualização de sua política de pesquisa e desenvolvimento e adaptação de sua infraestrutura para um modelo de inovação responsável. A proposta não gera impacto no desenvolvimento de medicamentos e vacinas: ela se restringe ao teste de cosméticos e produtos de higiene pessoal.

    Ao todo, 37 países já aprovaram leis proibindo ou limitando testes em animais para cosméticos ou a venda de cosméticos testados em animais, incluindo as 28 nações da União Europeia (UE).


  • Quem ajuda quem: humanização da atenção hospitalar

    Publicado em 08/10/2018 às 12:30

    Em 2013, foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos, da Universidade Federal de Santa Catarina, um projeto com a finalidade de analisar a aceitação dos alimentos e refeições oferecidas aos pacientes em tratamento de câncer na Clínica 2 do Hospital Universitário (HU).

    Atuando como voluntária do Programa de Residência Integrada Multiprofissional em Saúde (RIMS) do HU, a professora Francilene Vieira percebeu, naquela proposta, uma maneira de complementar a sua atuação como professora adjunta do Departamento de Nutrição, com a pesquisa.
    Continue a leitura » »


  • 2ª Chamada Pública – Instituto Serrapilheira

    Publicado em 03/10/2018 às 15:12

    Em sua primeira Chamada, o Instituto Serrapilheira selecionou mais de 60 pesquisadores de todo o Brasil para receber apoio financeiro em seus projetos de pesquisa.

    Dentre eles, as professoras Suzana Alcantara e Marina Hirota, da UFSC, foram contempladas.

    As inscrições para a segunda Chamada Pública iniciam dia 5 de novembro e o prazo para o envio de propostas vai até o dia 14 de dezembro.

    Para mais informações, clique no link.


  • Donna Strickland é a primeira mulher a vencer o Nobel de Física em 55 anos

    Publicado em 02/10/2018 às 17:42
    *da Universa, em São Paulo 02/10/2018 10h28

    A Academia Sueca anunciou nesta terça (2), os vencedores da edição de 2018 do Prêmio Nobel de Física, entre eles, uma mulher: Donna Strickland, que ao lado de Gérard Mourou desenvolveu um método para amplificação de pulsos de laser — os mais poderosos da história da humanidade — que podem avançar as cirurgias oftalmológicas.

    O resultado fez da canadense Donna, pesquisadora da University of Waterloo, em Ontario, a primeira mulher a receber um Nobel de Física em 55 anos — apenas a terceira na história da premiação.

    Antes da cientista, duas outras mulheres escreveram seus nomes na história do Nobel: Marie Curie, em 1903, pelo seu trabalho com radiação, e Maria Goeppert-Mayer, pela criação do modelo nuclear de camadas.

    Acesse o vídeo.

    Em entrevista à própria Academia Sueca após a notícia de que havia vencido o prêmio e era a sucessora de Marie Curie e Maria Goeppert-Mayer, Donna Strickland comentou:

    “Em primeiro lugar, é loucura. Nós precisamos celebrar as mulheres na física porque nós estamos por aí e, espero, com o tempo, começaremos a avançar mais rapidamente. Estou honrada por ser uma dessas mulheres.”

    Donna Strickland e Gérard Mourou dividem o prêmio deste ano com o físico Arthur Ashkin, que também foi laureado pela pesquisa com ‘pinças ópticas’, feixes de laser que permitem mover partículas.

    Além do reconhecimento, a cientista levará quase R$ 1 milhão para continuar a trabalhar em suas descobertas.

    Fonte: https://universa.uol.com.br/noticias/redacao/2018/10/02/donna-strickland-e-a-primeira-mulher-a-vencer-o-nobel-de-fisica-em-55-anos.htm


  • Professores da UFSC são contemplados em chamada pública da Fundação Bill & Melinda Gates.

    Publicado em 24/09/2018 às 08:52

    A professora Thaís Cristine Marques Sincero (CCS/ACL) e o professor Carlos Zarate-Blades (MIP/CCB) tiveram a sua proposta de pesquisa, submetida na Chamada Pública Grand Challenges Explorations Brazil: Novas Abordagens para Caracterizar a Prevalência de Resistência aos Antimicrobianos, aprovada em todas as etapas da chamada pública e selecionada como finalista.

    Dessa forma, os pesquisadores agora fazem parte da comunidade global Grand Challenges, que reúne pesquisadores de todo o mundo na busca por solucionar problemas mundiais de saúde pública por meio da inovação científica e tecnológica.

    Também irão participar do Encontro Anual Grand Challenges 2018, que ocorrerá entre os dias 15 e 18 de outubro de 2018, em Berlim/Alemanha. O evento, organizado pela Fundação Bill & Melinda Gates, visa fomentar a colaboração científica entre pesquisadores, parceiros e financiadores, incentivando a pesquisa e o desenvolvimento da inovação em saúde. O encontro inclui uma série de painéis temáticos e sessões plenárias em temas estratégicos para a pesquisa e inovação em saúde, inclusive no tópico de resistência aos antimicrobianos.


  • VIII Seminário Educação dos Corpos, Culturas, História: Sociologias Críticas da Educação.

    Publicado em 24/09/2018 às 08:47

    De 25 a 28 de setembro de 2018, ocorrerá, na UFSC, o VIII Seminário Educação dos Corpos, Culturas, História: Sociologias Críticas da Educação.

    O evento faz parte da programação geral da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia 2018, cujo tema é “Ciência para redução das desigualdades”.


  • Representando a UFSC, professor participa de evento em Moçambique

    Publicado em 19/09/2018 às 15:45

    O Profº André Ramos, do Departamento de Biologia Celular, Embriologia e Genética, coordenador do Projeto Imagine, foi convidado a representar a UFSC em três eventos conjuntos na cidade de Maputo, em Moçambique. A Feira Nacional de Ciências, a Competição de Robótica e a IV Bienal STEM + L aconteceram do dia 21 a 23 de agosto.

    Em encontro com o Dr Jorge Nhambiu, Ministro da Ciência, Tecnologia, Ensino Superior e Técnico-Profissionalizante de Moçambique, o Profº André Ramos disse que sua presença serviria como a primeira atividade da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia 2018, que, na UFSC, ocorrerá em outubro e terá como tema “Ciência para a redução das desigualdades”.

     


  • Prêmio CBMM de Ciência e Tecnologia

    Publicado em 11/09/2018 às 12:06

    A Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração -CBMM tornou público o Regulamento do Concurso Prêmio CBMM de Ciência e CBMM de Tecnologia – Edição 2019.

    Com o intuito de incentivar e premiar inovações tecnológicas que estão em processo e tenham impacto no desenvolvimento da cultura científica no país, a CBMM concederá aos vencedores o valor de R$500.000,00. Os vencedores serão conhecidos entre abril e maio de 2019.

    Para a participação, estão contempladas as áreas de Ciência da Computação, Ciências da Terra, Ciências da Vida, Engenharias, Física, Matemática e Química. Na UFSC, uma pré-seleção será feita nos Centros de Ensino, antes do envio das propostas à Pró-Reitoria de Pesquisa.

    Para mais informações, basta acessar o site.


  • Nota sobre o incêndio no Museu Nacional

    Publicado em 04/09/2018 às 09:01

    A comunidade acadêmica da Universidade Federal de Santa Catarina manifesta sua profunda consternação pelo trágico incêndio que consumiu o Museu Nacional na noite de 02 de setembro. Juntamente com os 20 milhões de itens do museu pereceu, de forma irreversível, uma parte da nossa história. A irreparável perda da mais antiga instituição de pesquisa brasileira afetará a produção do conhecimento nas áreas de ciências humanas e biológicas (em especial antropologia, museologia, história, arqueologia, botânica, zoologia e afins). Esperamos que o incalculável prejuízo nos faça refletir sobre a importância de investir na prevenção para não ter que remediar o que pode se tornar irremediável.

     

    Pró-reitoria de Pesquisa da UFSC


  • Formando cientistas sociais, ocorrerá o I Seminário de Sociologia e Política na UFSC

    Publicado em 28/08/2018 às 09:36

    Com a implantação do Curso de Especialização em Ciências Sociais, em 1976, foi criado também o Programa de Pós Graduação em Sociologia Política na UFSC, com foco nas áreas de sociologia e antropologia. Durante 9 anos de existência, o Programa oferecia as áreas de mestrado conjuntas. Foi depois de uma reestruturação, em 1985, que foram desvinculadas, tornando-se Programas próprios.

    Desde então, só neste ano, a partir de uma iniciativa do corpo discente do PPGSP, ocorrerá, em setembro, o I Seminário de Sociologia e Política na UFSC. O evento tem como principal objetivo abrir espaço para as discussões acerca dos trabalhos produzidos por estudantes de pós-graduação de diversas regiões do país.

    Foram recebidos 186 trabalhos para apresentação, e 127 deles aprovados pela comissão avaliadora, formada pelo corpo docente do Programa. Essas propostas partiram de pós-graduandas(os) e egressos do PPGSP, assim como de outros Programas de Pós Graduação do país. Elas estão separadas em 7 GT’s temáticos que serão expostos nos dias 20 e 21 de setembro. Durante esses dias, são esperadas mais de 200 pessoas entre palestrantes e público geral. Além disso, há grande expectativa para assistir ao encerramento com o professor Rogério Arantes, cientista político da USP e nome de referência de atuação na área.
    Continue a leitura » »